terça-feira, 12 de junho de 2018

Professora Zuleide Queiroz irá disputar vaga na Câmara Federal pelo Psol


Professora Zuleide teve sua pré-candidatura a deputada federal neste sábado, 09, na sede do GRUNEC em Crato.
(Foto: Reprodução/Fanpage "Resistência").

Na tarde do último sábado, 09, na sede do Grupo de Valorização Negra do Cariri (Grunec), foi lançada a pré-candidatura a deputada federal da professora universitária ligada ao Departamento de Educação da Universidade Regional do Cariri (URCA), Zuleide Queiroz, pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

De forte ativismo e presença nos movimentos sociais, como no próprio Grunec e na Frente de Mulheres do Cariri, Zuleide já disputou outros cargos eletivos como ao executivo municipal de Crato e a reitora da instituição em que leciona. Segundo ela, a pré-candidatura representa uma construção coletiva em busca de romper com a política como ora se apresenta em que mulheres, negros e a comunidade LGBT não são representadas e não estão ocupando os espaços de poder. Ela afirmou que se não estivesse nessa disputa outros estariam e frisou que a presença dos movimentos sociais no evento lhe fortalece.

Há mais de vinte anos mora aqui no cariri e acompanho a situação vivida pelas mulheres na região, em situação de violência, muito mais acrescida nesses últimos anos, com a juventude e com o recorte muito forte na juventude negra. Esse contexto que a gente vive de participação efetiva nos movimentos sociais nos leva a ter que tomar uma decisão muito importante na nossa vida”, disse ela em entrevista ao Jornal do Cariri e completou “queremos iniciar essa discussão partindo da pauta dos movimentos de mulheres, LGBT, da juventude e da educação, com as greves que se constituem nos municípios, e a saúde que é um dos principais problemas”.

Também em entrevista ao referido periódico, Valéria Carvalho, representante do Grunec, afirmou que Zuleide é uma delas e que o congresso precisa passar por mudanças. “Como ela é uma de nós, não tem como não estarmos juntas, não existe essa possibilidade”, pontuou.  O mesmo sentimento foi partilhado por Verônica Isidório, da Frente de Mulheres do Cariri, que completou arguindo que “o mundo que está ai, construído pelas mãos do capital e do machismo, não serve para nós, e vamos ter que desconstruir muita coisa para termos novas conquistas”.

Na fanpage “Resistência” criada para divulgar o nome de Zuleide consta que o evento contou com muitas falas de apoio e o lançamento marca a construção coletiva de uma alternativa negra, feminista e socialista para o Cariri e Ceará.





0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!