sábado, 28 de abril de 2018

Professor de Santana do Cariri é empossado na Academia de Letras do Brasil/Araripe-CE



O plenário da Câmara Municipal de Santana do Cariri foi palco na manhã deste sábado, 28, da cerimônia de posse do professor e escritor Raimundo Sandro Cidrão.

O evento que contou com a participação de todos os acadêmicos e acadêmicas que compõem a Academia de Letras do Brasil/Seccional Regional Araripe, de professores/as, representantes do poder legislativo local, radialistas e jornalistas do cariri, além do presidente da seccional Araripe, o poeta Adriano de Sousa, oficializou o assento de Sandro Cidrão na Cadeira nº 12.

Professor Sandro por ocasião de sua posse na Academia de
Letras. (Foto: Professora Lucélia Muniz).
No seu discurso, o recém empossado contou porque escolheu Generosa Amélia da Cruz como sua Matrona. Segundo ele, já há pesquisas em andamento acerca da homenageada e que muitos dos documentos, “alguns inéditos” (disse), foram conseguidos na Câmara. Para ele, dentre as principais características de Dona Generosa como passou a figurar no imaginário dos que a conhecia, estava a solidariedade, a coragem e devoção.

De acordo com Sandro, um dos maiores desafios enfrentados por Generossa foi quando seu esposo e tio o coronel Felinto da Cruz Neves morreu. Felinto tinha sido eleito prefeito de Santana do Cariri em 1936 e foi “traiçoeiramente assassinado” por seus adversários políticos. No discurso, o escritor mencionou ainda que Generosa assumiu a responsabilidade para si e passou a administrar o município (na época não havia vice) tendo que “dar continuidade ao trabalho de seu esposo”. O fato permitiu que ela entrasse para os anais da política figurando como a primeira prefeita do município e a segunda do Brasil.

A Matrona também dedicou parte de sua vida a educação e aos ensinamentos ligados a religiosidade utilizando, conforme pontuou o escritor, sua própria casa para ensaios da coroação, lapinha e das festas da padroeira.

Já velha e adoentada, “com sapiência e justiça, em seu testamento, deixou o Casarão para a Diocese de Crato, para fins religiosos e culturais. A Diocese, alegando não ter recursos para sua manutenção, o devolveu à família “Cruz”.  Como expressava esse documento, nesse caso ficaria o imóvel, que outrora foi lar, templo, escola e fortaleza, como um bem perpétuo para os familiares, que fosse passado de geração para geração. Dona Generosa veio a falecer, lúcida e serenamente no dia 18 de agosto de 1961, com 89 anos. Seu corpo encontra-se sepulto no Cemitério São Miguel em solo santanense, no jazigo da família", disse ele.

Por fim, Sandro dedicou alguns minutos do tempo para falar do orgulho que tem em fazer parte da Academia e afirmou que só a educação aliada à cultura é o caminho plausível para transformação da sociedade e a construção de um pais melhor.

Professor Nicolau Neto em discurso durante o ato de posse do escritor Raimundo Sandro Cidrão na Academia de Letras. (Foto: Professora Lucélia Muniz).

Ainda discursaram o presidente da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Adriano de Sousa, que fez um apanhado do histórico de contribuição em várias áreas do conhecimento do professor Sandro, o presidente do legislativo municipal, o vereador Arclébio Dias e este blogueiro, professor e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras. No ensejo, falei sobre a importância que a Academia tem para a educação e a cultura e que é necessário que seus acadêmicos e acadêmicas realizem um trabalho sistemático e contínuo de pesquisa principalmente sobre a história e a cultura do cariri e que o material construído possa servir de apoio pedagógico às escolas, carentes de conhecimentos científicos nessa área.




0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!