segunda-feira, 30 de abril de 2018

Ato pela defesa dos trabalhadores, da liberdade do ex-presidente Lula e da Democracia é realizada em Nova Olinda


Ato histórico em Nova Olinda reúne 4 sindicatos, professores, estudantes e demais membros da sociedade civil em prol da democracia, da defesa de direitos trabalhistas e pela liberdade de Lula. (Foto: Lucélia Muniz).

Um ato histórico em defesa da democracia, dos direitos trabalhistas e pela liberdade do ex-presidente Lula anteciparam a passagem do primeiro de maio no município de Nova Olinda, região do cariri cearense.

A ação foi uma idealização das principais centrais sindicais do município - Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINSENO), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (SINTRAF), Sindicato dos Professores e Servidores da Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará (Apeoc) e se desenvolveu na sede do Sinseno onde professores, sindicalistas, estudantes, vereadores e ativistas se revezaram nos discursos.

A manifestação foi uma verdadeira aula de cidadania em praça pública, conforme constatou Aureliano Sousa, presidente local do Partido Dos Trabalhadores (PT). Aureliano destacou ainda a participação de dois parlamentares do município, Beto Jeremias e Lourdes da Saúde e que em outubro cada um terá a oportunidade de desfazer o golpe.

Alan Cordeiro, ativistas social e representante do estudantes secundaristas e membro do grupo Kizomba afirmou que é necessário que se tenha mobilizações e que estas não contemplem apenas a defesa dos direitos trabalhistas, mas que a educação também mereça um papel importante como a luta pela defesa da orientação sexual, de classe, uma vez que o cenário que ora se apresenta não é favorável. O ativista ainda lamentou a pouca representatividade da classe política partidária no evento.

Quem também fez uso da palavra foi o presidente do Sinseno, Josias Félix. Este frisou sobre as percas dos direitos trabalhistas, com destaque para retirada do direito da contribuição sindical do trabalhador.

Já Miguel Barros, Conselheiro Tutelar, mencionou a necessidade de políticas públicas que fortaleçam a comunidade e que é fundamental a apresentação de projetos de leis de iniciativa popular para que o povo não fique refém do legislativo e do executivo municipal.

Professor Roberto Souza, Coordenador da Crede 20, de Brejo Santo, por ocasião do ato em Nova Olinda.
(Foto: Lucélia Muniz).

O Diretor da 20ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede 20) de Brejo Santo, o professor Roberto Souza enfatizou que a prisão do ex-presidente Lula foi política, uma vez que não houve até o momento provas consistente que justificasse sua prisão e destacou todas as políticas públicas que favoreceram os mais pobres iniciada nos governos Lula e continuada na gestão da ex-presidenta Dilma Rousseff. “Na verdade”, disse o professor, “ o que os golpistas queriam eram retirar de cena o maior líder político da história desse pais. Em nenhum pais do mundo se teve a experiência vivida no Brasil como a retirada de 40 milhões da pobreza”. “Essas mesmas pessoas que antes tinham deixado a pobreza voltaram a penar e a pedir esmolas”, finalizou.

Professor Nicolau Neto em ato pela democracia em
Nova Olinda. (Foto: Lucélia Muniz).
Já o professor, blogueiro e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras, Nicolau Neto, ressaltou a necessidade de todos continuarem juntos e mobilizados para fazer com que todas as medidas impostas desde que foi consumado o golpe jurídico-midiático-parlamentar possam ser revogadas e destacou em sua fala três pontos criminosos dentro da (des)reforma trabalhistas que não foram revistos e que tinha sido um conchavo entre o Temer, a base governistas e até membros da oposição para que ela fosse, reforma, aprovada, como parte do texto que estabeleceu trabalho de mulheres grávidas e lactantes em condições insalubres, o trabalho intermitente que inclui serviços e remuneração por demanda e não como manda o contrato, as indenizações por danos morais permitindo que o trabalhador pague honorários advocatícios do seu empregador  caso venha perder ações na justiça.

O professor Nicolau chamou a atenção ainda para o fato da ilegalidade da prisão do ex-presidente Lula e que a ausência de provas faz com ele seja um preso político e fez um apelo para todos os presentes.

Que nós possamos repassar tudo o que foi dito hoje aqui para nossos familiares e amigos e possamos aproveitar o momento e refletir. Este ano é de processo eleitoral. Iremos eleger deputados/as estaduais, federais, senadores/as, governador/a e presidente/a, por isso é importante que façamos pesquisas sobre como cada um/a votou nas medidas e reformas em vigor. Não podemos e nem devemos votar em quem foi responsável pelas condições precárias em que estamos hoje. Precisamos depositar a confiança em candidatos e candidatas que apresente em seu plano de governo medidas que toque na ferida do grande empresariado, da mídia e de banqueiros. O maior desafio de quem pretende se eleger é fazer com que as maiorias sociais se tornem maioria políticas. Então, candidatos e candidatas que reúnam essas características merecem nossa confiança", pontuou Nicolau.

Por fim, discursou a professora Socorro Matos (foto ao lado). Ela destacou que se sentia extremamente feliz com todas as representações ali presentes e mencionou a importância de se continuar unidos e fortalecidos em prol da retomada de diretos trabalhistas e que não tinha como falar que o pais vive uma democracia com a infinidade de casos que dizem o contrário. “Sofremos um golpe onde o nosso voto não foi respeitado. Não tem como falar de Democracia sem falar de Política. “Estamos vivendo um estado de exceção”, finalizou ela.

Cerca de 100 pessoas participaram direta e indiretamente das atividades que se estenderam até às 10h30mim. 





0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!