25 de março de 2020

Discurso de Bolsonaro não tem nada de inocente, por Carlos Alberto Tolovi*


Carlos Alberto Tolovi. (FOTO/ Arquivo do Blog).

Entendo que seu discurso não tem nada de insanidade. Carrega uma estratégia traçada pelos grandes empresários do país que o pressiona, respaldado por 30% de aprovação que ele ainda possui nas pesquisas. 

Ele partiu para o "tudo ou nada" em uma jogada arriscada. Continua com a mesma estratégia: atacando a mídia, defendendo o mercado, aliando-se aos empresários e contando com os alienados inseridos na base. Porém, talvez agora esteja dando um "tiro no pé". Mas não se arrisca inocentemente.

Certamente ele encontrou respaldo para tomar essa posição. E dessa vez, a luta de classes se torna explícita e evidente. O capitalismo não possui "coração". A sua "razão" se volta totalmente para a acumulação. Não há nada de humanidade e solidariedade na elite capitalista. E essa pandemia está fazendo com que eles deixem de lado a "pele de cordeiro" para mostrarem a verdadeira "cara" do lobo sedento pelo sangue, transformado no suor dos trabalhadores, que colocam as máquinas para funcionarem, produzindo riqueza para o "patrão".

Muito do que estava "velado" pela ideologia bolsonarista e capitalista agora aparece como clara contradição. Esse é o lado bom em meio aos tempos difíceis em que estamos vivendo. Os "campos de batalha" da política, que se constitui como relações de poder, se revelam mais claramente, com a possibilidade de as pessoas escolherem de que lado querem ficar.

Texto enviado a redação do Blog.
___________________________
* Carlos Alberto Tolovi possui graduação em Filosofia pela Universidade São Francisco - USF (1991), graduação em Teologia pelo Instituto Teológico São Paulo - ITESP (1995) e mestrado em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC (1998). Doutor em Ciências da Religião pela PUC - SP (2016). É professor de Filosofia na Universidade Regional do Cariri - URCA - CE, lotado no Departamento de Ciências Sociais. É diretor presidente da Fundação Arca e coordena o programa de extensão firmado entre a URCA e a ARCA (em Altaneira - CE). Autor do livro: "Mito, Religião e Política - Padre Cícero e Juazeiro do Norte".

3 comentários:

  1. Há um conflito implícito desde então, hora do povo "democrático" atuar positivamente, tomar as rédeas e atuar como patrão nessa situação de vida e morte. Deus seja louvado.

    ResponderExcluir
  2. Também acho isso é só uma jogada,
    todo mundo está vendo que ele se importa mais com a economia do que com os brasileiros.

    ResponderExcluir

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!