sábado, 12 de outubro de 2019

Morre aos 88 anos Chico Felenon, ex-prefeito e ex-vice-prefeito de Altaneira


Morre aos 88 anos Chico Fenelon, ex-prefeito e ex-vice-prefeito de Altaneira.
(FOTO/Reprodução).

Texto: Nicolau Neto

Faleceu na por volta de 1h00 da manhã deste sábado, 12, Francisco Felenon Pereira, um dos últimos remanescentes do processo histórico que culminou na emancipação política do município de Altaneira.


Seu Chico Felenon, como figurou no imaginário popular já vinha passando por problemas de saúde há alguns meses, mas o quadro se agravou nos últimos dias. Ele estava internado na Clínica São José em Juazeiro do Norte e a notícias de sua morte já nas primeiras horas deste sábado, 12, abalou profundamente familiares e causou comoção entre amigos e amigas não só de Altaneira, mas também de municípios vizinhos.

Quem foi Chico Felenon

Fenelon nasceu em 1931 no sítio Andreza (Assaré). Filho de Antônia do Espírito Santo e Antônio Fenelon Pereira, o jovem Felenon inicialmente ganhou a vida como comerciante ao lado de seu compadre Francisco Bispo de Assis, o Assis Baião.

Já casado com Terezinha Correia de Meneses, Felenon resolve alçar novos voos, agora no campo da política partidária, participando do processo pela emancipação política de Altaneira, antes Vila Santa Tereza pertencente a Farias Brito. Seu primeiro cargo é como vereador de Farias Brito, ao ser eleito com 171 votos em 1958.

Com o sucesso da campanha pela emancipação, a lei que cria o município de Altaneira é sancionada no dia 18 de dezembro do mesmo ano. Dois anos depois, há uma reviravolta na política do recém criado município com o assassinato do coronel Manoel Pinheiro de Almeida Farias, Né de Almeida. O fato acabou alçando Felenon ao cargo de prefeito em 1960, se constituindo como o primeiro gestor. Ele tentou voltar ao cargo em 1976, mas acabou sendo derrotado pelo então coletor da Fazenda Estadual João Ivan Alcântara.

Duas décadas depois, o mesmo Ivan o convite para disputar as eleições como o seu apoio. Convite aceito e seu segundo mandato como prefeito foi garantido nas eleições de 1982. Na eleição seguinte (1988) apoia para prefeito quem lhe deu apoio, mas por não receber o aval de Ivan para concorrer como cabeça de chapa em 1992, Felenon decide dedicar suas forças políticas apoiando o médico Eluízo Tavares Magalhães contra o pernambucano Ednaldo Farias Solto, o mago. Fenelon e Eluizio foram derrotados, mas a eleição entrou para a história política do município como uma das mais acirradas.

Duas vezes prefeito por Altaneira, ele também experimentou o cargo de vice-prefeito. Por duas vezes em 2004 e em 2008 na chapa encabeçada por Antonio Dorival de Oliveira, seu afilhado. No último não chegou a concluir, pois teve o mandato da chapa foi cassado pela Justiça Eleitoral em face de conduta vedada praticada pelo prefeito Antonio Dorival.

Entre um mandato e outro, ele se dedicava ao comércio em Assaré e as atividades no ramo da agropecuária no sítio São Gonçalo. 

Do casamento com Terezinha nasceram oito filhos, destes, seis mulheres – Vânia, Gleuba, Kelma, Carla, Rivânia e Neiva – e dois homens – Antonio e César. Este último chegou a exercer o mandato de vereador entre 1993 a 1996. Sua esposa falece em 2004 e dois anos mais tarde ele casa novamente, desta vez com a comerciante Francisca Devanilda Nogueira.

As últimas homenagens

O corpo de Felenon foi velado na Secretária de Assistência Social contando com uma cavalgada organizada pelo professor José Valdo. A tarde o corpo passou pelo poder legislativo e seguiu em cortejo por parte das ruas José Rufino, Padre Agamenon até a igreja matriz. De lá seguiu para o sepultamento.

Durante todo o dia amigos, amigas e conhecidos do ex-prefeito escreviam em redes sociais mensagens relatando a importância de Felenon para o município e da perca que foi a sua partida.

Para o prefeito Dariomar Rodrigues (PT) a maior homenagem que se pode dar ao Felenon é seguir o exemplo dele. O advogado e bloguero Raimundo Soares Filho compartilhou em sua rede social texto de seu blog com um pequeno histórico do ex-prefeito. “A nossa pequena Homenagem ao Grande Chico Fenelon #PrimeiroPrefeito #Altaneira #Fenelon #Luto”, diz a legenda que acompanhava a postagem. 


Já o presidente da Câmara de Altaneira, o vereador Adeilton Silva destacou o papel conciliador dele e disse que Fenelon enxergou a frente de seu tempo. “Sempre foi um grande conciliador, um grande conselheiro é um grande pacificador. Homem correto, um visionário, um homem que sempre enxergou à frente do seu tempo. Altaneira perde um dos seus mais ilustres cidadãos. Nossos sinceros sentimentos aos familiares, amigos e conterrâneos”, pontuou. 

O historiador Aldemir Ribeiro chegou a escrever “meu pesar a todos os familiares. Chico Fenelon deixa a vida para entrar na história, como fez um dia um grande político. Ele construiu sua própria história. Cabe a nós imortalizar os seus atos através das gerações”.

Chico Fenelon é um marco que nem o tempo poderá apagar”, destacou o professor de Geografia Dhony Nergino.

Os municípios de Altaneira e Faria Brito decretaram luto oficial. O primeiro por sete e o segundo por três dias.

No evento de posse do professor Nicolau Neto na cadeira nº 33 da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe nesta manhã no município de Araripe, o nome de Fenelon foi lembrado e dedicado um minuto de silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!