sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Projeto com Mulheres Quilombolas atenderá 06 comunidades no Cariri


Projeto com Mulheres Quilombolas atenderá 06 comunidades no Cariri.
(FOTO/Nelzilane Oliveira).

A Associação Cristã de Base de Crato (ACB) assinou um convênio no mês de maio com a Fundação Banco do Brasil e Banco (FBB) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a replicação de tecnologias sociais. O projeto se chama Mulheres Quilombolas e Seus Quintais Produtivos, cujo publico alvo são mulheres, com total de 100 participantes.  As comunidades trabalhadas são: Lagoa dos Crioulos, Arapuca e Serra dos Chagas – Salitre/CE; Carcará – Potengi/CE; Arruda – Araripe/CE; Souza – Porteiras/CE.

As tecnologias sociais escolhidas pela ACB para serem replicadas foram a Cisterna Chapéu do Padre Cícero tecnologia social certificada pela FBB no ano de 2013, uma adaptação da cisterna de calçadão feita pela equipe técnica da ACB. A outra tecnologia social é o Bioágua Familiar – Reuso de Águas Cinzas para Agricultura Familiar, certificada em 2017 pela FBB, o sistema foi adaptado pela Associação Voluntários para o Serviço Internacional | AVSI Brasil.

As mulheres serão atendidas nas respectivas comunidades do projeto com a instalação de 70 Cisterna Chapéu do Padre Cícero + 70 Quintais Produtivos, 25 Bioágua Familiar – Reuso de Águas Cinzas para Agricultura Familiar. O projeto também conta com capacitações que irão contribuir no cuidado e utilização das tecnologias sociais.

O projeto iniciou suas atividades no mês de julho com a apresentação do projeto nas comunidades realizado pela equipe técnica do projeto, a Coordenadora – Nelzilane Oliveira e Técnicas em Agropecuária -  Jaqueline Pessoa e Nágila Batista.

Logo após foram realizados os diagnósticos nas propriedades das beneficiárias, nesta importante etapa as técnicas do projeto visitaram as casas e os quintais para certificar-se qual seria a tecnologia social a ser instalada na casa das participantes do projeto.

Para a técnica Nágila Batista as visitas possuem grande importância. “As visitas foram de extrema importância para fortalecer o vínculo entre técnica de campo e famílias da comunidade, sendo esse trabalho um meio de criar vínculos com essas mulheres e assim facilitar o diálogo e compreensão das tecnologias a serem implantadas”, diz ela.

As primeiras capacitações foram realizadas entre os meses de junho e julho, todas as beneficiárias foram capacitadas. As capacitações foram: Gerenciamento e Utilização dor Recursos Hídricos, Gênero e Identidade. Tiveram como monitoras as educadoras populares Alexsandra Salvador e Nadine Macena.

As monitoras seguem a metodologia que ACB utiliza em suas atividade e capacitações, sempre de forma participativa. “Para melhor compreensão do que ia sendo conversado de forma transversal, sempre havia espaço de fala para relatos, desse modo à maioria colaborava com o que ia sendo conversado”, pontua Nadine Macena Educadora Popular do projeto.

Nelzilane Oliveira a coordenadora do projeto relata, “trabalhar com mulheres é um trabalho que requer nossa união e zelo, um projeto que possuí seu público alvo e equipe de trabalho exclusivamente de mulheres está sendo uma enorme experiência profissional e de vida. Poder ouvir os relatos de vida, das visitas realizadas pelas técnicas do projeto nos encorajam e nos enche de esperança. Queremos que o projeto seja um meio para que estas mulheres possam estar empoderadas com seus quintais produzindo alimentos saudáveis, e o excedente possa ser comercializado”.

A equipe do Projeto é composta por Nelzilane Oliveira (Coordenadora); Brígida Tavres (Gerente Admnitrativo); Jaqueline Pessoa (Técnica em Agrocpecuária; Nágila Batista (Técnica em Agropecuária). Alexsandra Salvador e Nadine Macena são as educadoras populares.
_____________________
Com informações da ACB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!