sexta-feira, 31 de maio de 2019

30M: Barbalha representou o cariri durante manifestação em defesa da educação e contra a reforma da previdência


30M: Barbalha representou o cariri durante manifestação contra os cortes
na educação e a reforma da previdência. (FOTO/Leandro Medeiros).

Texto | Nicolau Neto

Estudantes do ensino superior e da educação básica, professoras/es, representantes de entidades sindicais, movimentos sociais e demais trabalhadores fizeram do município de Barbalha, no interior do Ceará, a representante da região do cariri durante as manifestações deste dia 30 de maio contra os cortes na educação pública e a reforma da Previdência.

O ato desta quinta-feira serviu também de convocatória para a greve geral contra todas as medidas do governo Bolsonaro que visam reduzir e retirar direitos da classe popular.

Em Barbalha (CE), o protesto de estudantes, professores/as e trabalhadores/as conseguiu reunir mais de oito mil pessoas, conforme dados da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce). O ato teve concentração no Parque da Cidade e percorreu as ruas Coronel João coelho, Santos Dumont, Enraldo Filgueira e Rua do Vidéo, tendo encerramento na Igreja do Rosário.

Verônica Isidório.
(FOTO/Zuleide Queiroz).
Ao Blog Negro Nicolau (BNN), Verônica Isidório, professora e ativista da Frente de Mulheres de Movimentos do Cariri, destacou a importância da sociedade se mobilizar, principalmente diante da conjuntura que se apresenta. “O momento pede de nós muita organização e firmeza e nós, MULHERES, devemos estar juntas e fortalecida para enfrentar esse grande momento de luta no Brasil. Precisamos garantir nossos direitos à educação, à saúde e principalmente a uma vida sem violência”, disse.

Ela classifica a reforma da Previdência como “um golpe fatal na população mais empobrecida”, dando ênfase as mulheres e aponta o governo Bolsonaro como “inimigo do povo”.

Esse desgoverno tem se mostrado a cada dia um inimigo do povo. A reforma da previdência é um golpe fatal na população mais empobrecida deste país em especial na vida das mulheres, pois trará prejuízos incalculáveis. Garantir uma previdência democrática é garantir a dignidade do envelhecimento, principalmente das mulheres”, afirmou.

Verônica destacou também que “o desmonte que o governo vem fazendo não fere apenas os direitos das pessoas, mas a dignidade humana” e chamou as mulheres para se engajarem na luta. “Nós, mulheres te todo o Brasil estaremos nas ruas para denunciar a violação dos direitos e lutando pelas nossas vidas”. Disse ainda que a luta deve continuar:

“E para mostrar que nossa luta continua, realizaremos mais um ato pela vida das mulheres no Município de Barbalha, durante o cortejo cultural. O tema deste ano é: “As mulheres pela educação e contra a reforma da previdência”, frisou.

A ação que a professora destacou ocorrerá com concentração a partir das 09h na praça da Estação de Barbalha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!