12 setembro 2017

Editora veneta lança a “semana da arte degenerada” em resposta ao cancelamento de mostra LGBT


A mobilização de grupos de direita, principalmente do Movimento Brasil Livre (MBL), que culminou no cancelamento da “Museuqueer – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, no Santander Cultural, em Porto Alegre (RS), tem claro viés nazi-fascista. Assim como na Alemanha nazista de Hitler, que confiscou e destruiu obras de arte consideradas “degeneradas”, o grupo usou de todo o seu pseudo-moralismo cristão para dar pitacos na exposição e exigir o seu cancelamento. Os direitistas acusam a mostra de praticar “blasfêmia” contra símbolos religiosos e de pedofilia por conta de obras de arte sobre crianças LGBT.

Do Portal Fórum - “Não acreditamos que as obras de Queermuseu sejam um tipo de arte e muito menos que as crianças tenham acesso a esse tipo de coisa”, disse Paula Cassol, coordenadora do MBL do Rio Grande do Sul, como se crítica de arte fosse.

Mobilizações nas redes e nas ruas contra o cancelamento da exposição já estão em curso, mas outra iniciativa chamou atenção nesta segunda-feira (11). A editora Veneta, em uma resposta irônica ao protesto direitista e ao cancelamento da mostra, lançou a “semana da arte degenerada” – em referência à perseguição neonazista – e colocou todos os seus livros eróticos, pornôs e “escandalosos” a 50% de desconto.

Muita nudez! Muito sexo! Muita pouca vergonha!”, ironizou a editora em sua página do Facebook. Na promoção estão incluídas obras e artistas de renome como Milo Manara, Robert Crumb, Zumbis para Colorir, Sereia de Mongaguá, Afrodite Quadrinhos Eróticos e Sopa de Lágrimas.

Confira a lista completa dos livros na promoção da semana degenerada aqui.




0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!