03 julho 2017

Falando sobre Negros e Indígenas, Arraiá do Ribuliço encanta público no XVII Festival Junino de Altaneira



Quem foi ao último dia do XVII Festival Junino de Altaneira não se arrependeu. Além de testemunharem apresentações de qualidade de vários municípios, assim como se verificou na abertura da etapa regional, jurados (as) e o público se encantaram com o Arraiá do Ribuliço, representante municipal no evento, que dançou e cantou as contribuições de três povos na formação do país, diz matéria veiculada no Site do Município.

Antes de entrarem em cena, o prefeito Dariomar Soares lembrou a curta história da agremiação que reúne estudantes de ensino fundamental, médio e universitários (as) que aceitaram o desafio de inserir Altaneira novamente no cenário da cultura junina. Ele destacou a importância que teve Antonio Rodrigues dos Santos, conhecido popularmente por “Ribuliço” e que leve o nome do arraiá. Segundo o gestor, Ribuliço exerceu com grande zelo a função de motorista e por mais de 10 anos conduziu muitos pacientes para cidades vizinhas como Crato, Juazeiro e Barbalha em uma camionete Ford F-1000, mas que o povo conhecia o veículo como “burra preta” e “foi nela que aprendi a dirigir", disse. “Pedi a eles que só trouxessem resultados no ano que vem, mas não me obedeceram”, completou o prefeito fazendo referência aos dois terceiros lugares conquistados pela agremiação ribuliciana.

Antônio Cláudio Monteiro Chuppil, marcador e coreógrafo, ressaltou o empenho e dedicação de integrantes, o empenho da secretaria e o apoio do governo municipal como fundamentais para a formação do grupo.

Mesmo sem competir, o Arraiá do Ribuliço encantou e arrancou aplausos ao levar para o ginásio símbolos que marcam o (a) nordestino (a) e que foram frutos das contribuições de três grupos – os (as) negros (as) africanos (as), indígenas e os ibéricos (portugueses e holandeses), em referência ao período em que o Brasil esteve sob o domínio português e expondo os dois primeiros grupos aos mais variados castigos físicos e psicológicos- tendo a escravização como o pior deles – mas que mesmo assim deixaram esse grande legado. A proposta foi desenvolvida a partir do tema “Ibérico, Negro e Tapuia, Azul e Encarnado a História do Sertão Encantado”.

Alguns membros da família do homenageado se fizeram presentes durante a participação especial da agremiação.

Arraiá do Ribuliço fala das contribuições de Negros (as) e Indígenas na formação do país no XVII Festival Junino de Altaneira. Foto: João Alves. 

0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!