01 julho 2017

Arraiá do 18 de Dezembro homenageia João Zuba, mestre da cultura popular, no XVII Festival Junino de Altaneira



Teve início na noite da última quinta-feira, 29, e segue até hoje , 1º de julho, no Ginásio Poliesportivo Antonio Robério Carneiro, o XVII Festival Junino com o tema “Na roça, na Fazenda e no Sertão – Dançando e Festejando o Sertão”.

Com um bom público e sobre, em alguns momentos, pancadas de chuvas, sete arraiás das escolas do município fizeram a alegria cantando, dançando e contando a história do povo nordestino.

Antes das apresentações, segundo informações do site oficial do Governo Municipal de Altaneira, discursaram Antonio de Kaci, secretário de cultura, Leocádia Rodrigues, secretária de educação e o prefeito Dariomar Soares. O primeiro destacou a potencialidade do município nesse cenário. “Não é novidade que Altaneira sempre se destaca como um dos maiores festivais da região do cariri”. Antonio frisou ainda que este evento conta com o total apoio do governo municipal e que isso “demonstra o compromisso e a dedicação ao povo altaneirense” e teceu agradecimentos as parcerias, principalmente das secretarias de educação, saúde, assistência social, infraestrutura e do poder legislativo municipal. Leocádia, por sua vez, cumprimentou aos pais, alunos (as), professores (as) e a mesa, ao passo que agradeceu a todos (as) pelo empenho na realização do festival. O prefeito elogiou o trabalho da secretaria de cultura. “ A cada ano, a gente não sabe mensurar, mas a cada ano, a secretaria se supera”. Ele agradeceu a presença de todos no festival, ao passo que declarou aberto o evento.

A primeira a usar o cenário do ginásio foi a Creche Ciranda do Saber. Com o tema “Sol e Chuva no Sertão”, a criançada demonstrou desenvoltura ao frisarem problemas como a fome, sede e as poucas chuvas. A Escola de Ensino Infantil Fausta Venâncio, outrora denominada de Disneylândia, veio logo na sequência contando a história de João Batista, personagem bíblico. Na mesma desenvoltura, a Escola Joaquim Soares da Silva trouxe para o ginásio a temática “Festejando e Dançando no Roça do Joaquim” trabalhando os vários fazeres de agricultores e agricultoras. As agremiações do Joaquim Rufino e do 18 de Dezembro não deixaram por menos e arrancaram aplausos. A Joaquim trabalhou “Do Colorido do Sertão ao Brilhos do São João”, enfocando as principais problemáticas do país no contexto político, mas sem esquecer a bravura do povo nordestina para vencer. Já a Escola 18 de Dezembro com o arraia “Quadrilha 18 Tao – Chuvas no Sertão” que, além de falar de um dos principais mecanismos de desenvolvimento econômico, a chuva, homenageou o símbolo da cultura popular de Altaneira, falecido na noite do dia 24 de fevereiro do corrente ano.


Responsável por resgatar e manter viva a Banda Cabaçal ao lado do amigo Luis, João Zuba deixou um legado invejável na cultura local ao abrir espaços para aprendizes do ramo da música, sanfoneiros, violeiros e cantores semiprofissionais – como o cantor Sebastião Amorim (conhecido popularmente por Charles Tocador). Este ao lado dos alunos e integrantes do arraia da escola relembraram na quadra uma das principais marcas do homenageado, o pífano e a zabumba,

A noite de apresentações juninas foi encerrada com a Escola de Ensino Médio Santa Tereza que encenou uma das obras de Machado de Assis - o Dom Casmurro - enfocando a personagem Capitu com o tema “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”.

Na noite de ontem, 30, 09 (nove) agremiações de outros municípios se apresentaram na etapa regional e hoje, 1º de julho, mais nove irão encerrar o festival, inclusive o "Arraiá do Ribuliço”, representante da municipalidade. 

Arraiá do 18 Tão homenageia João Zuba no XVII Festival Junino de Altaneira. Fotomontagem: Blog Negro Nicolau.

0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!