28 fevereiro 2017

Pajeú: O antes e o depois do principal reservatório hídrico de Altaneira



Depois de receber mais de 247 mm de chuvas durantes o mês de fevereiro e permitir a sangria do grande maioria dos reservatórios hídricos de Altaneira,  como açude da maniçoba, açude de seu Mundinho, açude da Tabocas e a Lagoa do Sapo (conhecida popularmente por Barragem de seu Ivan), falta pouco para que a Lagoa de Santa Tereza – principal símbolo do povoamento do município – e o Açude Valério (popularmente conhecido por Pajeú) – o responsável pelo abastecimento de água nas residências dos munícipes – sangrem.

Dados colhidos junto a Fundação Cearense de Meteorologia dos Recursos Hídricos (Funceme) permite afirmar que Altaneira já recebeu em precipitações pluviométricas 247,5 mm distribuídos entre os dias 1º (7,0 mm); 12 (20 mm); 20 (105,5 mm); 21 (23 mm); 25 (64 mm); 27 (9,5 mm) e entre às 7h00 desta segunda-feira (27) e às 7h00 de hoje (28) o índice atingiu 18,5 mm.

Com as precipitações a situação do Açude Pajeú – principal preocupação do altaneirenses desde agosto do ano passado em face de um colapso hídrico- melhorou significativamente, afastando o risco de racionamento de água. Segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), este açude já atingiu 20% de sua capacidade. Vários internautas já estão comemorando o feito e registrando através de fotos a nova configuração do reservatório.

Um deles é o comerciante e mototaxista Edinaldo Alves Moreira que usou seu perfil na rede social facebook para demonstrar o antes e o depois do Pajeú tendo como referência Janeiro e Fevereiro deste ano.

Confira abaixo fotos ilustrativas dos meses de Janeiro e Fevereiro, respectivamente:

Situação do Pajeú em Janeiro






 



 Situação do Pajeú em Fevereiro 








0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!