25 novembro 2016

Depois do depoimento de Calero, Temer, apavorado, faz reunião de emergência


Em pânico com as reações ao depoimento de Marcelo Calero à Polícia Federal —em que o ex-ministro revela que Michel Temer também o pressionou na disputa com Geddel— o Planalto realizou ontem à noite uma reunião de emergência para tentar conter os estragos. A situação deve se agravar ainda mais agora que se sabe que Calero gravou diálogos com Temer, Padilha e Geddel. O governo avalia que a crise, antes restrita à questão do espigão em Salvador, já se tornou generalizada e ameaça o presidente. Antes seus aliados, jornais e redes de televisão já se distanciam de Temer, que vê crescer a possibilidade da abertura de um processo de impeachment.
Publicado originalmente no 247

Convencido das intenções políticas de Calero, o Planalto tenta agora desesperadamente distanciar a imagem do governo às irregularidades de Geddel. O que, diante das gravações feitas pelo ex-ministro da Cultura, parece cada vez menos viável.


Os partidos de oposição já se articulam para pedir a abertura de um processo de impeachment contra Michel Temer. Na internet, jornalistas também já deixam aberta essa possibilidade. Parte da mídia que apoiou Temer na remoção de Dilma Rousseff do cargo agora começa a virar as costas para o peemedebista.


0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!