22 agosto 2016

Internautas denunciam ato racista na Câmara de Altaneira e vereador lança nota



As primeiras horas da manhã desta segunda-feira (22) as redes sociais foram povoadas por mensagens e comentários criticando a postura “racista” que um parlamentar de Altaneira teria tido durante a sessão ordinária realizada na última sexta, 19.

Um dos primeiros a denunciar o fato foi o engenheiro civil Bruno Arrais. Sem citar quem teria cometido o “ato racista, ele questiona “em Altaneira existe tantas pessoas que brigam pela valorização da cultura afrodescendente, com muita razão, mas não se manifestaram sobre o ato racista que ocorreu na câmara municipal na sexta feira. Só queria saber o porque”.

A universitária Paloma Caldas também sem citar nome, taxou a atitude do parlamentar de “estúpida”, “nojenta” e “podre”. “Ao ilustríssimo vereador, que INFELIZMENTE faz parte da coligação que eu apoio, meus aplausos pelo fantástico número de horror da ultima sexta-feira. O senhor foi muito feliz no quesito ESTÚPIDO. Que Deus, na sua infinita bondade e justiça, possa lhe recompensar pela NOJEIRA e PODRIDÃO da sua mente, caráter. ..atos. Que sua voz seja ouvida por todos, e que os homens de bem não se corrompam a ponto de ferí-lo fisicamente, que ao meu ver, o senhor merecia uma medida disciplinar bem forte.
Um a verdadeira VERGONHA para a cidade. Um representante do povo atacando o povo. Já não basta termos uma criatura que tem orgulho de dizer que é formada, e é uma VERGONHA para a política e ainda para as mulheres, temos de aturar mais um serumaninho lazarento.

Aos amigos do grupo político é inaceitável o abafamento desse CRIME. Uma lástima quem se cala por opressão, disse ela indignada.



A mensagem de Paloma recebeu vários comentários, mas todos sem saber quem haveria proferido tais atos.

Por volta das 13h30, o vereador Flávio Correia com assento pelo SD lançou nota na rede social facebook em que diz ter feito um “infeliz comentário” ao qual foi “acusado de racista”. No texto, o vereador diz que foi mal interpretado por aqueles que não o conhece.  “Ao citar que ‘para mim Ariovaldo nem preto é’ estava subtendido uma frase que sempre disse a ele, que para mim ele é dourado, de ouro! Que inclusive - para quem ouviu - foi completada logo em seguida! Em outra situação, eu poderia ter me referido a qualquer um dos meus amigos dessa forma, ou até mesmo minha filha, que para mim nem branca é”..., afirmou. Segundo Flávio, “houve uma brecha para má interpretação, principalmente por uma frase que citava a cor da pele de um negro proferida por um branco” e que há existem  mais maldade na interpretação de alguns no que foi afirmado por ele.

A nota ainda menciona a sua origem familiar ao citar “sou filho de Chica Tubiba, negra, pobre e mãe solteira. Sou casado com Dona Aguida e ela me deu três filhos. Um de cada cor para representar bem a diversidade da nossa descendência! Minha família é minha maior riqueza e jamais iria tomar qualquer atitude que os atingisse!”.

Flávio pediu desculpa. “Mais uma vez me desculpo se ofendi alguém. Os que me conhecem sabem e aqueles que não conhecem procurem na história dos meus 56 anos algum caso de preconceito ou discriminação de qualquer espécie”, concluiu.

Ariovaldo Soares, alvo de tudo, comentou a nota. “Não vislumbrei sentimento de racismo na colocação do vereador Flávio Correia. Foi apenas uma brincadeira e não vejo razões para essa conturbação toda”.




0 comentários:

Postar um comentário

Ao comentar, você exerce seu papel de cidadão e contribui de forma efetiva na sua autodefinição enquanto ser pensante. Agradecemos a sua participação. Forte Abraço!!!